quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Pesquisa séria sobre o perfil do jogador de RPG

Desde que comecei a jogar, já devo ter preenchido pelo menos umas 5 pesquisas sobre o tal "perfil dos jogadores de RPG". Da maior parte, nunca tive uma resposta se quer do resultado, normalmente fruto da falta de costume dos pesquisadores em mover uma pesquisa. Pesquisa exige método, planejamento, estudo das amostragens e afins. Esta é a primeira pesquisa sobre jogadores RPG em que realmente senti firmeza por parte dos pesquisadores envolvidos. Ela já está rolando desde 2008 e parece ter caído no esquecimento. Convido todos os leitores e blogueiros a divulgarem a pesquisa visando melhorar a amostragem e o poder explicativo da mesma.

Infelizmente não encontrei as credenciais do Pesquisador Diego Adão além das referentes ao fato de ser, ele mesmo, um jogador de RPG e pesquisador da UNIFESP. Porém, me fio na força da instituição e na qualidade da pequisa.

A Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e em parceria com a Lvdvs Cvltvralis, desenvolveu a pesquisa Role Playing Game: estudo do perfil do jogador de RPG.
O objetivo dessa pesquisa é trazer evidência científica sobre o perfil dos jogadores de RPG, a fim de se combater a informação ilegítima contra o hobby.
Para tanto, precisamos de sua colaboração. Basta acessar o link

http://biocomp.epm.br/rpg

e responder ao questionário do estudo.

Obrigado,

Diego Adão F. Silva
(pesquisador da UNIFESP)
diegorpgunifesp@gmail.com

9 comentários:

Paulo_Segundo disse...

Olha, comecei a responder esse questionário, mas parei na metade.

Sinceramente, não concordo com muita coisa q está ali, principalmente nas perguntas das partes 4 e 5.

Jogo RPG sim, e não sou bandido nem um desajustado social, nem tive "crises de choro" essa semana...

Parece que quem fez esse questionário está fazendo um questionário sobre emos, e não sobre RPGistas.

E ainda, a base de dados deles está desatualizada, só existe a opção de sistema storyteller, que já acabou há 5 anos. Ainda existe muita gente que joga, tudo bem, mas já existe o Storytelling há 5 anos.

Fail...

opiumseed disse...

Paulo,

Se você não teve crises de choro na última semana, bastava responder "Nunca".

Se o sistema que você joga não estava entre os listados, bastava colocar "Outros".

Não é uma pesquisa comercial de mercado. É uma pesquisa que visa medir a incidência de uma série de patologias psiquiátricas como depressão, compulsão, problemas com autoimagem e afins.

Não há a menor falha nisso.

Em tempo, ter crise de choro não é apenas coisa de Emo. Tem pessoas que realmente passam por problemas químicos e precisam de acompanhamento nesse sentido. Por ser uma pesquisa de cunho acadêmico psiquiátrico/psicológico, sua colocação é impertinente para não dizer insensível.

Torço para que você retome a pesquisa. Ela não é minha e nem tenho nada a ver com ela, mas me é uma iniciativa e uma pesquisa séria que pode desmistificar uma série de questões sobre o perfil do jogador de RPG.

A Rpgista disse...

Vou responder a pesquisa, por questão de ser rpgista e acreditar que a cada vez que nos pedem, a resposta sincera que damos aos pesquisadores ajudam a desmistificar a imagem que somos monstros ou bicho-papões com algum tipo de doença ou desajuste mental ou social perigoso.

Vou postar mais tarde uma mensagem de incentivo no meu próprio blog, porque afinal, isto tem realmente uma certa importância.

O único porém é que o site demora muito para carregar, mas é algo previsto em um site de pesquisa, e não um comercial.


http://arpgista.blogspot.com <= Blog rpgistico adulto.

Paulo_Segundo disse...

Primeiro, não havia a opção nunca, existe a opção raramente (1 vez por semana).

Ou seja, eu, segundo o questionário, tenho q ter pelo menos uma crise de choro por semana.

Em segundo lugar, eu coloquei sim a opção outros e coloquei meu sistema e cenário favoritos, no caso Storytelling (que já existe a 5 longos anos, não surgiu semana passada), e Vampiro o Requiem.

O problema nessa metodologia utilizada é que ela já parte desses pressupostos, que nós, RPGístas somos doentes e com problemas socio-afetivos, e buscamos expressar nossa raiva e frustração com o mundo ao nosso redor através de atos da representação ficcional da violência, através do assassínio de monstros...

Não acho q a minha colocação tenha sido impertinente e/ou insensível. Um pesquisa atual deveria ter atentado para os 2 fatos que eu mencionei, e, ao longo do processo de respostas, percebi que a importância prática disso seria zero.

Pq?

Pq eu duvido muito que alguém que tenha problemas psicológicos da ordem dos pesquisados possui séria consciência sobre o fato (admitir que tem um problema já é um primeiro passo para tratá-lo, surgindo a figura da vergonha em expressar isso publicamente aos demais), e responderiam as perguntas de modo isento e satisfatório.

Dessa forma, não tornarei a responder o questionário.

De qualquer forma, obrigado.

opiumseed disse...

Ok, Paulo.

Você, evidentemente, é livre para responder o que quiser ou não. E nem tiro a validade de seus apontamentos, também acho que existem alguns pontos da pesquisa que poderiam ser revisados.

Porém, pessoalmente, não vejo nenhuma diferença entre essa pesquisa e qualquer outra pesquisa psiquiátrica que eu já tenha visto. Me incomodou muito mais a pesquisa ser direcionada para o publico exclusivamente masculino.

No caso da sua insensibilidade foi achar que só Emos choram e jogadores de RPG não. No mais, você tem toda a razão pela ausência da opção "nunca" na malfadada questão do choro.

opiumseed disse...

Ainda para o Paulo.

Sobre a consciência ou não das próprias questões, esses formulários, ainda que rasteiramente e de forma inadequada como é característico dos formulários, não pergunta: "você tem depressão?", ele faz uma série de questões para a reflexão. Em tese, quem está do outro lado do formulário vendo as respostas é que tem o crivo para indicar se a pessoa pode ou não ter alguma desordem a partir de suas respostas, indiferente do quão consciente se seja.

Novamente, concordo que existem perguntas que poderiam estar melhor colocadas, mas não sou eu o idealizador da pesquisa.

edyabreu disse...

Ae pessoal, novo blog de RPG para se inscrever no Lista Lúdica (não enconteri espaço apra comentários lá..)
www.regrabasica.com.br
Abc do Edy

Cochise César disse...

Olá. Eu sou Cochise César e já tentei fazer isso uma vez e não deu certo, mas pode ser que agora dê.

Quero convidar você a contribuir com um portal colaborativo de RPG. Um lugar onde apareçam só os posts mais importantes, independentemente de quem seja o autor ou em que site ele esteja.

Uma forma de tornar mais visível o conteúdo importante.

Para isso é preciso apenas que quando escrever um post importante faça um resumo dele e submeta para nós em http rpgbrasil. co. nr/

Se quiser apoiar o projeto pode também adiconar nosso banner ao seu site http i33.tinypic.com/2uh20pw. jpg

Abaixo segue um "release" do RPG Brasil.

O RPG Brasil é um agregador colaborativo.
Isso quer dizer que ele é um site “grande”, mas que vive de doações de conteúdo da comunidade. A idéia é que qualquer um possa “doar matérias”, inclusive eu.

Todos os blogs tem posts relevantes e não relevantes. Agregadores tratam todos da mesma maneira. Colocal todos eles listados lado a lado. Separar os artigos que realmente valem a pena ser lidos dos que não valem é uma tarefa difícil.
Mas há mais blogs do que se pode acompanhar, (aproximadamente 150) portanto seria necessário uma grande equipe para fazer uma seleção doque realmente importa.
Agregadores colaborativos partem do princípio da autocensura para resolver esse problema.
O autor sabe que os comentários que fez sobre as férias não são relevantes para pessoas que não sejam seus amigos. E ele sabe que o review de um jogo ou o novo NPC que criou é.
A ideia é que ele divulgue seus posts relevantes para a comunidade através desse site. Assim, o melhor conteúdo da blogosfera é indexado aqui.
Não publicamos aqui matérias completas, apenas chamadas, então o leitor interessado tem que ir ao blog de origem da matéria para lê-la por inteiro.
Nesse negócio ganha o leitor ganha por ter acesso a um conteúdo filtrado e o autor ganha por aumentar suas visitas e visibilidade

Ricardo Foureaux disse...

Gostaria que meu blog fosse adicionado à Lista Lúdica:

http://aestradanaotrilhada.blogspot.com/


Obrigado

Ricardo Foureaux