terça-feira, 4 de março de 2008

Sobre a morte de Gary Gygax

Interrompo o hiato de atualizações do Observatório com uma notícia triste: circula na Internet a notícia de que Gary Gygax morreu. Você pode ler sobre Gary Gygax na Wikipedia ou em qualquer outro dos muitos lugares que vão falar sobre ele. Aqui ficará apenas uma explicação breve:

Gary Gygax foi um dos envolvidos na criação dos primeiros jogos de RPG. Pode ser lembrado como um entusiasta dos jogos e dos jogos de representação, assim como um evangelista dos mesmos.

Como RPG é uma cultura jovem, pouco mais de 30 anos de história e recém-consolidado, a maioria dos envolvidos diretamente em seu fomento ainda se encontra viva e produtiva. O próprio Gygax articulou e assinou jogos até o fim, sem nunca pensar em qualquer tipo de aposentadoria. Afinal, por que alguém se aposentaria de seu passatempo favorito? A grande maioria das pessoas espera a aposentadoria para se dedicar a um passatempo, sorte daqueles que que vivem dos seus.

De certa forma, a morte e o luto por Gygax representa um marco para os jogos de representação. A morte de um pensador, articulador ou grande produtor dentro de uma cultura lhe dá um status de seriedade, como se a morte sacralizasse as idéias.

De forma muito saudável, a idéia de RPG hoje é diferente daquela que Gygax escreveu em seus jogos e aventuras clássicas. O objetivo dos jogos já não mais circula em torno de formas divertidas e inusitadas de morrer com os personagens. Hoje os personagens em jogo são menos descartáveis e os desafios menos arbitrários, mas só percebemos as mudanças de paradigma por que termos os nossos pilares. Obrigado, Gygax, por muitos dos nossos pilares.

É com esse agradecimento que deixo aqui a saudação e o luto do Observatório do RPG aos parentes, familiares, amigos e fãs de Gary Gygax.

5 comentários:

almanaque disse...

70 anos, novo. Steve Jackson tem 55. Ainda vai longe.

Eduardo Alves disse...

Acompanho o pesar pela "passagem" de Gygax. Apesar do RPG ainda ser um tabu para maioria, posso dizer que com meus mais de 20 anos nesta seara, reconheço que de alguma forma o RPG contribuiu para definição de quem sou hoje, mesmo que seja apenas uma mínima parcela neste processo que ainda está em andamento e creio que mesmo com minha "passagem", ainda não estará por terminar. Acompanhei o RPG transladando estados e momentos que passariam por definições como, Entusiasta, Observador, Sonhador e talvez outros que nem mesmo tenha percebido.
Um homem é reconhecido pelo que realiza, e o legado de Gygax dispensa maiores comentários sobre que ele foi.

Obrigado e paz Gygax.

Phil Souza disse...

O objetivo dos jogos já não mais circula em torno de formas divertidas e inusitadas de morrer com os personagens.

Comentei isso no blog recentemente Rômulo. É uma pena, mas não sei por que, ainda não consegui escrever nada sobre o assunto.

Filósofo de Boteco disse...

"A grande maioria das pessoas espera a aposentadoria para se dedicar a um passatempo, sorte daqueles que que vivem dos seus".

Putz cara...grande verdade...penso nisso de manhã ao ir trabalhar

b.m. disse...

Traduzi um texto sobre a morte do Gygax no meu blog, e comentei sobre o rpg e sobre os principais aspectos dele. Só que não sei se outros jogadores concordam. Vou por o link aqui e em outros lugares, e eu sei que parece spam, mas fazer o quê. Preciso saber se concordam ou discordam. Aqui: http://www.obacamarte.blogspot.com/