quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Música para ouvir música para ouvir música para ouvir

Na letra de Arnaldo Antunes tem música para jogar baralho, mas não tem música para jogar RPG. Ficou mesmo de fora, pois ouvir música enquanto se joga RPG, além de bem comum, é técnica narrativa para muitos. Escolher música para jogar é parte da criação da aventura para vários mestres.

Mestres e jogadores que tenham uma ligação forte com música devem obter um prazer especial com isso. Nem que seja para escolher que CD vai ficar rolando em repeat durante o jogo. Um prato cheio para isso são trilhas sonoras de filmes. Já estive em aventuras em que, ao acaso, a música épica começou a tocar no momento exato em que começamos a grande batalha. Senhor dos Anéis, Dracula de Bran Stocker, Guerra nas Estrelas entre outras parecem ser figuras fáceis nas mesas de jogo.

Já não é de hoje que as editoras perceberam que música climática para jogadores de RPG é um nicho de mercado. A primeira vez em que tomei conhecimento de um foi o CD Music from the Succubus Club lançado pela Dancing Ferret Discs em parceria com a White Wolf em 2000. O CD representava um set list da boite número um da vampirada e tinha 13 faixas, uma música para cada clã. O mundo das trevas sempre teve uma ligação muito direta com a música, dedicando páginas de seus livros apenas para a sugestão de bandas de músicas para dar o clima da brincadeira.

Recentemente, apareceram três lançamentos seguidos, mostrando que mesmo não tendo muitos produtos na área, o conceito segue no mercado. A Pelgrane Press tem dois títulos no mercado, ambos de James Semple:

Dissonance - música para jogar Esoterrorists, um RPG onde você é um agente investigador que luta contra uma grande conspiração de ocultistas que atentam contra a própria realidade. A compra dá direito a 4 músicas, entre elas uma música para ser tocada na abertura de partidas e o tema oficial da Ordo Veritatis, o grupo que combate os esoterroristas.

Four Shadows - música para jogar Trail of Cthulhu. Assim como Esoterrorists, Trail of Cthulhu é baseado no sistema Gunshoe, cujo o foco são aventuras investigativas. No caso desse jogo, temos um cenário pulp cthulhunesco para desvendar. O comprador recebe quatro faixas que prometem colocar seus jogadores no clima dos mitos de Lovecraft.

Por fim, temos o Blood Opera Suite, onde ouvimos No More Roses, a ópera inacabada da alma torturada de Shivon Mwrr, um músico traído. Toda essa tragédia é para jogar Houses of Blooded, um RPG decadencista sobre nobres passionais e vingativos. Me lembra Ligações Perigosas.

Um comentário:

newtonrocha disse...

Tem também o Midnight Syndicate, que fez cs específicos para RPG!

D&D
http://www.amazon.com/Dungeons-Dragons-Official-Roleplaying-Soundtrack/dp/B0000BZYIS/ref=sr_1_9?ie=UTF8&s=music&qid=1225361501&sr=8-9

Cthulhu
http://www.amazon.com/13th-Hour-Midnight-Syndicate/dp/B0009S52ZG/ref=sr_1_2?ie=UTF8&s=music&qid=1225361501&sr=8-2

Genérico para Vampire
http://www.amazon.com/Realm-Shadows-Midnight-Syndicate/dp/B00004SYUV/ref=sr_1_8?ie=UTF8&s=music&qid=1225361501&sr=8-8

e mais esse de horror
http://www.amazon.com/Vampyre-Symphonies-Crypt-Midnight-Syndicate/dp/B00006HME3/ref=sr_1_3?ie=UTF8&s=music&qid=1225361501&sr=8-3

Um abraço do Nitro!